Reflexão

Propensão a queda

Ontem eu caí. E devo dizer que foi um belo de um tombo. Digo isto consciente de que na arte da queda tenho mestrado e doutorado, pois sou desastrada de nascença. Acredito, porém, que esta foi a mais memorável que vivenciei até agora, então gostaria de compartilhar os detalhes com vocês. Faço isso com o intuito óbvio de dividir também as reflexões e conclusões a que cheguei a partir disso.

Pois bem, estava eu aguardando meu ônibus no ponto ao final de mais um dia de trabalho. Tudo certo até aí. Minha condução chegou e eu, muito feliz e calmamente, fui em direção a porta de entrada. Uma mulher passou por mim, e entrou primeiro. Eu, educadamente, permiti. Em seguida, um homem também me ultrapassou, destruindo toda minha esperança de cavalheirismo nesse mundo, mas tudo bem, deixei que ele passasse. No entanto, não bastasse isso, no momento em que coloquei o pé dentro do ônibus, pisei em falso, e caí.

Mas não foi uma queda comum.

Foi A queda, com A maiúsculo mesmo.

Bati a coxa direita, a perna esquerda e a testa. Fiquei estatelada no chão por uns bons dez segundos, tentando recuperar o fôlego e me situar novamente.

Ninguém me ajudou.

Nenhum único ser humano teve a decência de me levantar ou perguntar se eu estava bem.

O motorista olhava para mim com cara de tédio, as pessoas aguardando atrás de mim para entrar murmuravam entre si, provavelmente reclamando da garota tola que nem andar direito sabe.

Então, se quis, me levantei. Sozinha.

A fisgada na minha coxa me fez beirar as lágrimas, mas segui firme (ou o mais firme que pude) para um dos assentos a minha frente.

Chorei no caminho todo e quando cheguei no meu ponto, quis chorar mais ainda, pois andar parecia uma missão impossível tamanha a dor que eu estava sentindo, mas prossegui.

Sofrendo, suando, mancando.

Mas segui para o meu destino.

Sobrevivi.

Deste dia fatídico consegui extrair duas lições. Uma de força e outra de amor.

A primeira é a seguinte: se você cair é pouco provável que alguém estenda a mão para o ajudar. Você desaba e ninguém se importa. Ao desmoronar, as pessoas apenas o observam e acham interessante sua falta de equilíbrio. Ninguém está de fato disposto a fazer algo a respeito. É assim na vida, nas lutas diárias. Cada um por si, Deus por todos. Não crie expectativas no auxílio de outros, mas não deixe que a atitude fria e indiferente dos demais afete suas ações e reações. Seja a diferença. Infelizmente ou felizmente, você só poderá contar com Deus mesmo. É ele quem dará forças para que você levante de cabeça erguida a cada queda. Não interessa se te olharão com deboche, pena ou tédio. Não é relevante se as pessoas pensam que você é ridículo ou um pobre coitado. O que importa é o seu levantar. Tenha fé em Jesus e em si mesmo. Não espere que esse mundo vá fazer algo por você, porque ele não vai.

A segunda lição foi doce, sublime e reveladora em meu momento de dor e raiva. Brinquei com as minhas amigas dizendo que “levantei do chão na força do ódio pela humanidade”, foi quando me deu um estalo. Deus teve a capacidade de AMAR essa humanidade inescrupulosa. AMAR por inteiro, a ponto de sacrificar o seu bem mais precioso, o Senhor Jesus por ela. Ele sabia que as pessoas eram egoístas, esnobes, ignorantes e indiferentes, mas isso não O impediu de amá-las. E eu, por uma pequena atitude senti ódio. Meus olhos encheram de lágrimas, dessa vez de vergonha. Deus nos amou, Ele amou e ama a humanidade ainda que sejamos o pior dos piores. Apenas o Senhor foi capaz de nos amar, mesmo que sejamos tão imundos.

Como serva dEle é meu dever amar também, embora às vezes seja muito difícil fazer isso. Somos todos seres humanos falhos, mas devemos nos esforçar ao máximo para sermos mais parecidos com Ele e menos semelhantes aos que estão ao nosso redor, que também são pecadores. Além disso, como parte da humanidade, você precisa entender que Deus o ama, independente dos seus erros. Não somos merecedores e jamais seremos. Estamos sempre propensos a queda. Seja no sentido de cair ou no sentido de derrubar alguém.

Que estejamos atentos.

See you!

Advertisements

4 thoughts on “Propensão a queda

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s